Página Inicial » Projetos

Buscar

Reação de genótipos de algodoeiro a doenças e nematóides

Doenças e nematóides constituem um dos principais problemas enfrentados pelos produtores de algodão no estado de Mato Grosso. A medida de controle mais eficiente e sustentável de doenças na cultura é a utilização de genótipos resistentes. Assim, fica evidente a necessidade de eficiente classificação desses materiais, tanto no nível de cultivar – fornecendo informação direta ao produtor – como de linhagem, dentro de programas de melhoramento genético dessa cultura. Pois esses programas, somente se manterão mediante a incorporação de Resistência Múltipla as Doenças (RMD) em seus genótipos. Nesse sentido o projeto tem como objetivo: a) avaliação da reação de cultivares de algodoeiro, mais plantadas no estado de Mato Grosso, à mancha de Ramularia, doença azul, mosaico das nervuras atípico, ramulose, mancha-angular, murcha de fusarium, Meloidogyne incognita e Rotilenchulus reniformis; b) dar suporte em fitopatologia (isolamento, multiplicação de inóculo, inoculação, avaliação da reação de genótipos de algodoeiro a doenças e nematóides) em programas de melhoramento do IMA, EMBRAPA e IAC na busca de Resistência Múltipla a Doenças. Com isso o projeto tem caráter multiinstitucional na soma de esforços para o controle sustentável de doenças de plantas no cerrado brasileiro.

Equipe externa para desenvolvimento de ensaios diversos e faixas demonstrativas

O Mato Grosso representa hoje a maior região produtora de algodão do Brasil (Conab, 2008), contudo para que se mantenha essa posição, se faz necessário viabilizar cada vez mais o cultivo, através de tecnologia com materiais altamente produtivos e ações que contribuam para redução do custo de produção. Por essa razão, o Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) inicia o programa de avanço de gerações pré-melhoradas tendo a resistência múltipla a doenças, como componente obrigatório, associado a ganhos em produtividade e qualidade de fibra. Para tanto se faz necessário instalar estes materiais em diversos pontos do Estado, para que assim sejam obtidos resultados promissores do melhoramento em um curto espaço de tempo. Com isso, os objetivos desse projeto são levar os materiais frutos do melhoramento para serem testados nas diversas regiões do estado; para otimizar o tempo dos pesquisadores envolvidos no IMAmt; para padronizar e elevar a qualidade de instalação, manejo e colheita dos ensaios de melhoramento e das faixas demonstrativas.

Germoplasma

A conservação dos recursos genéticos nos bancos de germoplasma e sua caracterização são fundamentais, pois pode haver características de interesse que possam ser incorporadas aos programas de Melhoramento Genético de Plantas desenvolvidos, destinado à solução de problemas e demandas, como o aumento da produtividade, resistência/tolerância a doenças, percentual de fibra e outros que venham a contribuir com o desenvolvimento da cotonicultura. Além de conservar toda essa riqueza para exploração e utilização pelas futuras gerações. Atualmente a coleção de germoplasma do Instituto Mato-grossense do algodão - IMAmt conta com aproximadamente 1000 acessos adquiridos através de coletas e doações (USDA, Fundação MT, Cirad). O objetivo deste projeto e permitir inicialmente a correta descrição e caracterização destes acessos para posteriormente iniciar trabalhos de expansão da base genética da coleção de germoplasma de algodoeiro alotetraplóide.

Medidas Fitossanitárias para o controle de Pragas

Atualmente existe alto grau de tecnologia na cotonicultura matogrossense, mas ainda há uma ameaça real nas plantações de algodão: a praga bicudo-do-algodoeiro, cujo nome científico é Anthonomus grandis boh. Por isso a proposição de adotar medidas para estabelecer um controle efetivo desta praga, as quais estão definidas neste projeto, através de uma sequência de ações. Para prevenir o surgimento ou controlar o bicudo-do-algodoeiro, o cotonicultor precisa se conscientizar da importância das recomendações técnicas, com um controle rigoroso antes, durante e depois da safra. A adoção dessas medidas, realizadas coletivamente, além de outras emergenciais recomendadas pelos consultores técnicos, é fundamental para a sustentabilidade da cultura do algodão no Estado de Mato Grosso. Com isso o objetivo desse projeto é reduzir a presença do bicudo-do-algodoeiro nas diferentes áreas de cultivo do algodão no Estado de Mato Grosso; assim como a detecção da necessidade de se realizar o monitoramento e controle de outras pragas do algodoeiro.

Melhoramento genético de soja

Com esses ensaios objetiva-se selecionar variedades produtivas, precoces, resistentes aos nematóides de cisto, visando uma colheita antecipada e viabilizando o plantio de uma segunda safra em um período favorável dando mais uma alternativa aos produtores do Mato Grosso.

Pesquisa e desenvolvimento de espécies oleaginosas no cerrado mato-grossense

Com um grande número de terras agricultáveis ociosas no cerrado mato-grossense no período de safrinha, aliado a crescente demanda por óleos vegetais para produção do biodiesel, fármacos, produtos genéricos, que substituam aos produtos derivados do petróleo, e as várias atuações dentro da indústria química, são os motivos que impulsionam a pesquisa de espécies oleaginosas conhecidas e não conhecidas fitotecnicamente, no cerrado mato-grossense. Serão avaliados nos dez ambientes (Rondonópolis, Primavera do Leste, Nova Ubiratã, Poxoréo, Sinop, Cáceres, Acorizal, Jaciara, Juscimeira e Porto Alegre do Norte) do cerrado mato-grossense, em quatro épocas de cultivo safrinha (entre fevereiro e abril), as variedades, cultivares comum e híbridas de Girassol (Helianthus annus L.) e Mamona (Ricinus communis), variedades e cultivares comum de Amendoim (Arachis hypogaea L.), Canola (Brassica napus L. e Brassica rapa), Colza (Brassoca napus L.), Crambe (Crambe abyssinica), Cártamo (Carthamus tinctorius L.), Gergilim (Sesamum indicum), Linhaça (Linum usitatissimum), Nabo forrageiro (Raphanus sativus L.), Niger (Guizotia abyssinica), dentre outras, e espécies perenes como, Moringa (Moringa oleifera), Pinhão manso (Jatropha curcas L.), Dende (Elaeis guineensis, Jacq.) e outras espécies da família Palmaceae, as características agronômicas pertinentes ao cultivo, teores de proteína e fibras, contidas no grão, quantidade de massa seca produzida pela planta, avaliações quantitativa e qualitativa para característica, teor de óleo contido no grão, para todas as espécies, e também para genótipos, variedades, híbridos, e linhagens de Algodão (Gossypium hirsutum L.). O objetivo do projeto é introduzir e prospeccionar aos diversos ambientes e épocas de cultivo safrinha, espécies oleaginosas potenciais para o fornecimento de óleo, sendo este, matéria prima na produção do biodiesel, indústria química, farmacológica, polímeros, aditivos, alimentação humana, e outros fins, selecionando as espécies e genótipos superiores através das características avaliadas, para servirem como materiais base, no programa de melhoramento de oleaginosas, com a finalidade de desenvolver novos cultivares superiores, específicos e adaptados as várias regiões do cerrado mato-grossense. Além das variáveis citadas anteriormente, será observado características anatômicas e morfológicas de raiz, condicionantes a reestruturação física e nutricional do solo, e a capacidade da cultura controlar o crescimento populacional de doenças e moléstias nocivas a cultura do algodão, soja e milho. Estas espécies oleaginosas fornecerão ao produtor mato-grossense opção de somar mais uma fonte de renda ao sistema produtivo, sem interferir no cultivo das culturas tradicionais da safra (verão), utilizando a tecnologia do cultivo dessas culturas tradicionais, para o cultivo das oleaginosas de safrinha. Com mais opções de espécies para rotação de cultura, com o benefício da quebra do ciclo das pragas, doenças, ciclagem de nutrientes, adubação verde e proteção do solo contra os agentes intemperizantes.

Reação de genótipos de algodoeiro a doenças e nematóides

Doenças constituem um dos principais problemas para a cultura do algodoeiro sobretudo no Estado de Mato Grosso, onde se encontra mais de 50 % da produção nacional, o que favorece a disseminação e o aumento do potencial de inóculo a cada ano agrícola. Em determinadas regiões há relatos de até 11 aplicações de fungicidas com média de 5-6 na safra de 2007-2008. Também em diversos pontos, está ocorrendo considerável redução de produtividade devido à presença de nematóides, o que, associado a cultivares suscetíveis torna-se inviável a produção. A forma de controle mais eficiente e econômica é a utilização de materiais resistentes, pois, mesmo utilizando outras medidas de controle (química, cultural) não há sucesso quando aplicada isoladamente havendo a necessidade de interação dos métodos. O trabalho tem por objetivo avaliar a reação de genótipos de algodoeiro a doenças e nematóides. As doenças estudas, em condição de campo, serão: ramulose, mancha-angular, ramularia, doença azul e M. incognita e, em condições de casa de vegetação: ramularia, mancha-angular, murcha de fusarium, doença azul e M. incognita e R. reniformis. Espera-se com o trabalho fornecer informação direta ao produtor a respeito do comportamento de cultivares e indireta através da avaliação de matérias genéticos oriundos de programas de pré-melhoramento e melhoramento atuantes no Mato Grosso principalmente do IMA. Também, vinculado a outro projeto, obter informação a respeito de controle químico mais eficiente (formulações e número de aplicações) para ramularia e ramulose associado com controle genético.

Teste de Agroquímicos

A cotonicultura vem tendo grande importância no cenário nacional e o estado do Mato Grosso se destaca sendo o maior produtor. Para que continue esse crescimento é necessário sustentabilidade, pois os altos custos de produção vêm sendo um grande problema. Para contribuir com essa redução de custo, esta sendo proposto conduzirmos no estado do Mato Grosso, ensaios com agroquímicos (fungicidas, inseticidas e fertilizantes) onde testaremos os diferentes princípios ativos, doses e número de aplicações, com o objetivo final de fornecermos ao produtor opções de aplicações que reduzam o custo de produção sem afetar a produtividade final da lavoura.

Avaliação de genótipos de algodoeiro para doenças e nematóides e aspectos metodológicos

Atualmente, as doenças do algodoeiro constituem um dos maiores problemas para a cultura no Estado de Mato Grosso. Todavia, esse grande problema vem sendo subestimado pela utilização de cultivares suscetíveis associadas ao controle químico de doenças, aumentando os custos de produção e poluição ambiental. A forma mais eficiente e econômica para o controle de doenças é a utilização de cultivares resistentes. Nesse sentido, o objetivo do projeto é avaliar as respostas de genótipos de algodoeiro à mancha de Ramularia e ramulose (problema eminente e generalizado) nematóides e murcha de Fusarium (mais pontual, porém, com crescimento vertiginoso). Os genótipos a serem avaliados serão oriundos do programa de pré-melhoramento do Instituto Mato-grossense do Algodão e de diferentes programas de melhoramento que atuam no Brasil (10 cultivares mais plantadas). Para isso, inicialmente, necessita-se coletar isolados desses patógenos e populações de nematóides em diferentes regiões do Estado de Mato Grosso que servirão como base para o presente trabalho e também para projetos futuros. Aprimorar e desenvolver metodologias - principalmente para mancha de Ramularia e murcha de Fusarium - para finalmente avaliar, sob condição de campo, ramulose, e, casa de vegetação as demais, a expressão da resistência a doenças e a nematóides em genótipos de algodoeiro. Com o projeto, espera-se classificar, quanto à resistência a doenças e nematóides, diferentes genótipos, visando fornecer informações, desprovidas de interesses comerciais, a programas de melhoramento e a produtores de algodão atuantes no Estado de Mato Grosso.

Controle do Bicudo-do-algodoeiro

A praga bicudo-do-algodoeiro (Anthonomus grandis Boh.) atualmente é listada através de levantamentos feitos sobre prioridades de trabalho em Mato Grosso, como sendo o primeiro em ordem de importância de controle. Por isso a proposição de adotar medidas para estabelecer um controle efetivo desta praga é o objetivo principal deste projeto. Através da redução da presença do bicudo-do-algodoeiro nas diferentes áreas de cultivo do algodão no Estado de Mato Grosso e tentar eliminar a praga em uma região onde a presença é muito pequena e recente. A fim de atender essa meta, foi feita a contratação (safra 2006/07) de um engenheiro agrônomo para cada um dos sete núcleos regionais da Associação Mato-grossense de Produtores de Algodão, bem como de um coordenador sediado em Cuiabá. Sendo que, objetivo maior desse grupo é a mitigação dos efeitos do bicudo-do-algodoeiro na cotonicultura do Estado de Mato Grosso pelo trabalho contínuo de monitoramento da praga e persuasão do produtor a efetuar o controle de acordo com a intensidade indicada através dos resultados obtidos do monitoramento da praga. E também detectar a necessidade de se realizar o monitoramento e controle de outras pragas do algodoeiro.

Copyright © IMA - Instituto Mato-Grossense do Algodão.
Rua Eng Edgard Prado Arze, 1777 Ed. Cloves Vettorato - 2 andar Quadra 03
Setor A - Centro Político Administrativo
CEP: 78049-015
(65) 3321-6455/6482