Campo Verde recebe 7ª Jornada de Atualização Legal do IAS
10/11/2017

Campo Verde recebe 7ª Jornada de Atualização Legal do IAS

A necessidade de conhecer melhor a nova legislação trabalhista, que entra em vigor a partir deste sábado (11 de novembro), levou 314 pessoas a participarem da 7ª Jornada de Atualização Legal, realizada pelo Instituto Algodão Social (IAS) nos seis núcleos regionais de produção algodoeira em Mato Grosso.

 

 Após o encerramento da 7ª Jornada no Centro de Treinamento e Difusão Tecnológica Ampa/IMAmt do Núcleo Regional Centro nessa quinta-feira (9 de novembro), muitos participantes revelaram sua satisfação com o nível de conhecimento demonstrado pelo palestrante, o diretor executivo do IAS Félix Balaniuc, que é advogado trabalhista e auditor fiscal do Trabalho aposentado. 

 

"A palestra superou minhas expectativas. Achei que o conteúdo seria mais superficial, mas foi possível detalhar bem cada alteração feita na legislação trabalhista", comentou Rafael Kirichenco, que integra a equipe administrativa da Fazenda Leila. Mesmo assim, ele gostaria que a Jornada se estendesse mais de modo a haver mais tempo para tirar dúvidas.

 

O colaborador se refere ao extenso conteúdo da apostila elaborada por Félix Balaniuc e distribuída pela equipe do IAS. No material, o diretor executivo procurou destacar as principais alterações que serão introduzidas no dia a dia das propriedades rurais pela Lei 13.467, de 13 de julho de 2017, que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Aprovada pelo Congresso Nacional, essa lei entra em vigor neste sábado (11 de novembro). O palestrante também introduziu os principais pontos da Lei 13.429, de 31 de março de 2017, que trata da terceirização dos contratos de trabalho.

 

Presença feminina - O público reunido ao longo da 7ª Jornada de Atualização Legal, em Campo Novo do Parecis, Sapezal, Sorriso, Rondonópolis, Primavera do Leste e Campo Verde, contou com forte presença feminina, já que muitas mulheres trabalham no setor de Recursos Humanos (RH) e na administração de fazendas e outras unidades produtoras dos associados à Ampa (Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão) ou em escritórios contábeis que atendem o setor rural.

 

"Vim para aprender. Para mim, tudo é novo", comentou Iris Berto. Há um ano, ela deixou um emprego no Fórum de Campo Verde para trabalhar ao lado do marido, o produtor Gustavo Berto, presidente do Núcleo Regional Centro, e está muito empenhada em conhecer mais sobre tudo que diz respeito ao mundo do agronegócio. "O palestrante falou de um jeito que a gente consegue entender", observou.

 

Elaine Bottan, do Grupo Adriana, vai ter um bebê na próxima semana, mas fez questão de participar da Jornada e também elogiou a forma como os temas foram abordados. "Fiz outro curso sobre a reforma trabalhista há pouco tempo, mas este foi bem focado na realidade do produtor rural. O palestrante deu vários exemplos que tornaram o encontro mais proveitoso", afirmou Elaine, que é casada com o produtor André Bottan.

 

Daiana Garbugio, que está à frente da Fazenda Paraná junto com a família, concorda que buscar conhecimento é muito importante neste momento de mudanças. "Participar da Jornada de Atualização Legal é o ponto de partida para se aprofundar mais nos temas relacionados a essas novas leis", disse.

 

Alerta - Ao longo da 7ª Jornada, iniciada em Campo Novo do Parecis no dia 24 de outubro, Félix Balaniuc enfatizou que seu objetivo não era julgar a nova legislação trabalhista e sim informar as principais mudanças aprovadas. Na sua opinião, a reforma em curso não retira direitos dos trabalhadores."A legislação vigente é datada de 1943 e trata o trabalhador comorelativamente incapaz. O foco da reforma atual é reconhecer sua plena capacidade de negociação individual, valorizá-lo e tornar mais flexível e adaptada à realidade atual a sua relação com o empregador", diz. 

 

Ele alerta que as mudanças na legislação trabalhista, com a prevalência do negociado sobre o legislado, por exemplo, exigirão que todos os envolvidos – patrões, empregados, representantes da Justiça do Trabalho – ampliem seus conhecimentos permanentemente. Segundo ele, uma Medida Provisória está sendo preparada acerca da matéria e o IAS irá manter atualizados os associados da Ampa (Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão) e seus colaboradores.  Devido ao interesse despertado pelo tema, o IAS está programando para o dia 5 de dezembro uma etapa extra da 7ª Jornada em Cuiabá (no auditório do Edifício Cloves Vettorato, no Centro Político Administrativo), com o objetivo de atender o pessoal de RH dos grupos associados à Ampa que têm escritório na capital e também outras entidades vinculadas ao agronegócio.

Copyright © IMA - Instituto Mato-Grossense do Algodão.
Rua Eng Edgard Prado Arze, 1777 Ed. Cloves Vettorato - 2 andar Quadra 03
Setor A - Centro Político Administrativo
CEP: 78049-015
(65) 3321-6455/6482